Ao encontro dos meninos em situação de rua

O Projeto ao encontro dos meninos em situação de rua tem o objetivo de oferecer atividades socioeducativas a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, visando o retorno ao convívio familiar, comunitário e à escola. Com a parceria da Recíproca Assistência, a Associação Beneficente São Martinho oferece oficinas de informática e percussão para os beneficiários. O programa atende jovens de 6 a 17 anos. Em 2017, foram 567 atendidos. A oficina de percussão contou com a participação de 3000 beneficiários. Já nas atividades de informática foram contabilizados 233 jovens.

Com o recurso oferecido pela Recíproca Assistência, no último ano, a São Martinho serviu 2.263 refeições para beneficiários, além de café da manhã e lanche da tarde em todas as oficinas de projeto. Para as atividades de conveniência, o programa alugou três ônibus e forneceu 792 passagens para os beneficiários e famílias.

O projeto ao encontro dos meninos e meninas em situação de rua foi a primeira iniciativa da associação beneficente São Martinho. Ações itinerantes são realizadas diariamente no centro e zonal sul do município do Rio de Janeiro. Após a abordagem nas ruas, os jovens são convidados a participarem das atividades na unidade socioeducativa, localizada na Lapa. A oficina de informática é extremamente importante para o desenvolvimento das crianças e adolescentes. A tecnologia na educação vem ganhando espaço na escola e espaços sociais, integrando os jovens para o ambiente educacional. O uso de internet integra fortemente a socialização dos jovens, mostrando que os meios sociais também podem ensinar e construir uma forte reflexão crítica do que acontece no dia a dia.

A oficina de percussão também transforma a vida dos beneficiários. O ensino coletivo da música permite desenvolver a capacidade de trabalhar em equipe, interagir socialmente e atuar em colaboração. O jovem passa a entender a música como parte da sua vida, e não somente como diversão. A atividade trabalha com a socialização do beneficiário, entretenimento, coordenação motora, aprendizado, podendo futuramente gerar renda para o indivíduo. A participação desses adolescentes nas oficinas também é uma forma de afastá-los das drogas e violência, garantindo a participação na sociedade de forma positiva e fazendo da arte um instrumento de integração social. Em Abril deste ano, a capoeira passou a integrar o quadro de atividades do projeto. A prática esportiva é mais uma ferramenta transformadora, contribui para o desenvolvimento da criança, é um instrumento de socialização e de manifestação cultural. Em um mês, já foram contabilizados 121 participantes. Para os educadores, a capoeira tem um poder agregador, funciona como um catalisador de cultura. A atividade é vista como ferramenta para tirar os jovens da ociosidade através dos módulos trabalhados: dança, salto, música, percussão e confecção de instrumentos.

Oficina do ano 300

Oficina de informática 233

Refeições servidas 2,263

Descrição das oficinas

Informática

Busca através da inclusão digital, linguagem atual para as crianças e jovens, trabalhar as suas habilidades para construção de contéudos relacionados com sua vida e sua cidadania. Ao longo dos três módulos o usuário tem condições de conhecer melhor ferramentas para edição de imagens, textos, histórias em quadrinhos.

Percussão

Demonstra a musicalização com ênfase na percussão, tanto no ato de percutir instrumentos, como estabelecer um diálogo do ensino com a tradição de manifestações populares, como as baterias das escolas de samba e seus processos não formais, coletivos e eficientes de ensino de aprendizagem.

Capoeira

Prática esportiva e também instrumentos de socialização de autoestima e de manifestação cultural.

Depoimentos

" Eu nasci em jacarepaguá, na Praça Seca depois eu morei na comunidade do Mandela, em Rocha Miranda e me Honório Gurgel, até vir morar aqui no Centro. Aqui eu conheci a São Martinho, por um moço que estava passando. Eu estava jogando bola com o meu irmão na rua e ele passou e falou que na São Martinho tinha futebol, que tinha várias atividades, igual a um curso, para a gente fazer. Nessa época eu tinha acabado de fazer 7 anos e agora estou prestes a fazer 17. A São Martinho vem me ajudando desde então aprendi a ler aqui,me ajudaram a conseguir um lugar para morar, entrei no Curso de Formação Básica também por aqui. A São Martinho até agora foi muito importante na minha vida se não fosse por eles eu poderia nem estar mais aqui, vivo. Poderia ter me entregado ao mundo das drogas ao mundo do crime mas a São Martinho abriu as portas para mim. Hoje eu faço parte da profissionalização no curso da unidade de vicente de carvalho. Quando terminar o curso eu quero me formar e fazer faculdade de Direito, para trabalhar defendendo os inocente e correndo atrás dos direitos deles."

João Victor Soares, 17 anos, Beneficiário da São Martinho

"Nós trabalhamos com jovens que chegam aqui muito prejudicados em relação ao aprendizado, por conta da falta de sono, de alimentação e de paz. Então, através da música, ele vai sendo estimulado. Porque a música é capaz de salvar vida. E a percussão oferece isso, entreterimento, interatividade, socialização, amizade e amor ao próximo. Queremos que eles praqtiquem algo e sintam-se bem."

Ana Regina Rosa, Instrutora da Oficina de Percussão